Como irei obter meus primeiros clientes ou aumentar nosso rol de patrocinados e como trabalhar meu Marketing?

 

Aqui existem várias possibilidades, vamos a elas.

         Possibilidade 1 – Indicação por parte de amigos e familiares. Inclusive você já pode começando a advogar para empresas da família ou em causas da família;

 Possibilidade 2 – Dantas, não tenho nenhum amigo ou familiar que possa me indicar um cliente… E agora? Ok! Você está por conta própria, certo? Relaxa, pois também passei por isso! Aqui entra várias estratégias! Você vai começar a “aparecer” para os outros… Como assim? Mostrar à sociedade que existe um advogado especialista em tal área (estou partindo do pressuposto de que você já possui um domínio forte na área que irá fazer isso, ok?).

Mas como eu faço isso? Ajudando as pessoas!

Sabe como? Por meio de artigos publicados na internet, vídeos solucionando dúvidas, palestras gratuitas, nada enfocando sua advocacia, mas sua experiência acadêmica em certa área. Com o tempo seu nome vai começar a girar e isso lhe trará clientes.

 

Inserção no mercado por meios indiretos para obtenção de reconhecimento e notoriedade em seu campo de atuação;

 

Este ponto não deixa de ser uma continuidade do tópico anterior, porém, agora, de forma mais profissional.

Se você gosta de um tema, escreva um livro sobre ele. Se você acha que tem vocação acadêmica, comece a dar aulas..

Daí as coisas vão fluindo, seu conhecimento sobre o tema vai ficando cada vez maior e mais apurado e com o tempo você se tornará, mesmo que este não seja seu objetivo, uma referência na área e se você também for advogado certamente as pessoas que tiveram acesso ao seu conhecimento, seja como leitor ou aluno, tendem a indicá-lo ou contratá-lo.

Aqui você irá trabalhar a sua pessoa como um profissional que domina certo ramo do direito. Escreva artigos e publique em sites de grande porte com o Jus (www.jus.com.br), o Jusbrasil (www.jusbrasil.com.br) etc.

Não tenha medo ou vergonha! Faça um bom texto e envie para vários sites.

Olha que legal! Hoje eu tenho mais de 50 artigos científicos publicados em revistas especializadas, mas antes de alcançar este patamar, veja que em 2013, ou seja, já faz seis anos, eu enviei e consegui a publicação de vários artigos no site jus.

Link: https://jus.com.br/951908-alessandro-dantas/publicacoes

Os artigos publicados foram:

1 – Concurso público: mérito, sorte e situações (im)previsíveis (22/05/2013)

(https://jus.com.br/artigos/24513/concurso-publico-merito-sorte-e-algumas-situacoes-im-previsiveis)

2 – Concurso público: controle das provas discursivas pelo Poder Judiciário (27/05/2013)

https://jus.com.br/artigos/24533/concurso-publico-controle-das-provas-discursivas-pelo-poder-judiciario

3 – Direitos básicos do candidato nas provas objetivas (29/05/2013)

https://jus.com.br/artigos/24532/direitos-basicos-do-candidato-nas-provas-objetivas

4 – Homologação parcial do concurso e aproveitamento de excedentes. (11/06/013)

https://jus.com.br/artigos/24688/homologacao-parcial-do-concurso-e-aproveitamento-de-excedentes

5 – Cadastro de reserva e burla aos princípios da administração (18/06/2013)

https://jus.com.br/artigos/24700/cadastro-de-reserva-e-burla-aos-principios-da-administracao

Etc.

Percebeu! Naquela época, ou seja, há mais de 6 (seis) anos atrás meu nome ainda não era referência nacional na área de concursos públicos, porém me dediquei de forma focada neste nicho e comecei a desenvolver conteúdos inéditos, pois até a presente data não existe uma lei geral dos concursos públicos.

Com o desenvolvimento das atividades acadêmicas, bons artigos escritos, sempre alguém vai passar por um problema que você pode ter desenvolvido e desmistificado em seu artigo e isso pode ser o início de uma nova clientela.

É claro que não me limitei a isso! Fiz muitas coisas.

Paralelamente e com o tempo vieram outras publicações e oportunidades. Comecei a dar aulas em cursos preparatórios ainda antes de formar. Lembro, e hoje isso me faz sorrir, mas com uma certa timidez, que naquela época cheguei a pegar turmas que eu era mais novo do que o aluno mais novo da classe! E o interessante é a vontade de ensinar algo!

Hoje, com a bagagem que tenho, é claro que tenho plena consciência que meu conhecimento não chegava a 5% (cinco por cento) do que sei hoje, mas, por outro lado, o dos alunos, não chegavam a 50% (cinquenta por cento) do que eu ensinava.

É óbvio que não estamos falando, naquela época, de cursos preparatórios de ponta, mas cursos pequenos, para concursos de nível médio. A evolução para os cursos de ponta, como Escola da Magistratura, Escola do Ministério Público, Cursos Preparatórios para magistratura, tele presenciais, MBA, Pós-graduações etc. chegaram depois de mais tempo, com um amadurecimento maior e já com um certo nome em destaque no mercado.

É engraçado que lembro, como se fosse hoje, de minha trajetória como autor! Publiquei meu primeiro livro no ano seguinte ao de minha formatura.

E como foi isso, Dantas? Simplesmente liguei para editora, falei que tinha um livro “top” de um tema que ministrava em cursos preparatórios e “voilà”!

Foi um livro de licitações, que em um ano e meio se esgotou e logo após saiu sua segunda edição. Neste período eu já estava dando aulas em faculdades, escrevendo com frequência, ministrava aulas na Escola da Magistratura e certo dia teve uma palestra de hoje um grande amigo meu, o mestre dos concursos William Douglas, na referida escola e depois da aula tive a oportunidade de almoçar com o “guru dos concursos” e a diretoria da escola.

Ali surgiu uma amizade e na semana seguinte fui ao Rio, onde fechamos a publicação de uma obra nova, que se esgotou no mesmo ano e diversas outras foram sendo publicadas. Eram livros específicos, mas, querendo ou não, eu estava crescendo no meio acadêmico com a pouca idade que possuía.

Após esta época, fui convidado para dar uma palestra no LFG sobre direitos dos candidatos em concursos públicos, tema que já havia escrito diversos artigos e gravado inúmeros vídeos e, principalmente, minha área de atuação na advocacia.

Foi um minicurso de mais de três horas em tele presencial ao vivo e ao final o coordenador do LFG à época do curso, Francisco Fontenele, ficou bastante entusiasmado com todos aqueles direitos que eu havia falado no curso e que poucos sabiam e me convidou para escrevermos, em coautoria, um livro sobre os direitos dos concurseiros.

Caí de cabeça no projeto e em dois meses entregamos a obra, talvez única no mercado, intitulada: “Concurso Público: os direitos fundamentais dos candidatos”, que já foi publicada pelo então maior grupo editorial do País, o Grupo Gen.

Paralelamente a isso comecei a dar umas aulas no on line no LFG sobre licitações.

Veja que estava construindo um nome e ao mesmo tempo isso ia, querendo ou não, me trazendo notoriedade e autoridade no assunto e, consequentemente, novos clientes iam surgindo. Foi algo natural.

Agora, aqui, muito legal esta passagem em minha vida profissional. Aqui entra o lado ousadia, vai com tudo, faça valer!

.        Após terminar o livro acima citado, liguei para o editor da GEN, hoje um grande amigo, e disse a ele que estava escrevendo um manual completo de Direito Administrativo junto com um grande amigo e juiz federal e que gostaria de apresentar o projeto.

Lembro disso como se fosse ontem, rs!

Era cerca de 10:00 horas da manhã e no fluir da conversa ele me perguntou se poderíamos tomar um café. Eu respondi o seguinte: “claro, como está sua agenda hoje?”

Ele me retrucou, “tranquila, mas você está em São Paulo?” Eu respondi: “Não, mas já estou comprando uma passagem agora para aí (Vitória do Espírito Santo) e 14:00 estou em seu escritório!”

Loucura, né? Pois é, mas isso chama-se obstinação, determinação. Nada iria impedir meu sonho, um projeto valioso! Conclusão: lançamos um belo Manual de Direito Administrativo com mais de 1000 (mil) páginas.

Este tipo de comportamento ocorreu em várias ocasiões em minha vida profissional e tudo isso fez com que eu ganhasse o fator “credibilidade” e “seriedade” naquilo que faço e, mais uma vez, uma coisa leva outra: quanto mais conhecido eu ficava, mais clientes vinham à minha procura.

SOBRE O AUTOR

Me chamo Alessandro Dantas, tenho 40 (quarenta) anos, me formei há 16 (dezesseis) anos e meu currículo pode se resumir da seguinte forma:

Sou especialista e mestre na área de Direito Público;

Tenho 18 (dezoito) livros publicados ligados ao Direito Administrativo;

Mais de 50 (cinquenta) artigos jurídicos publicados sobre o tema que atuo;

Coordeno, junto com dois outros profissionais de elite, uma coleção de livros jurídicos para uso profissional que terá mais de 50 (cinquenta) volumes;

Já concedi dezenas de entrevistas para diversos segmentos da mídia nacional (seja por rádio, televisão e jornal impresso), muitos facilmente encontrados na internet;

Sou professor de Direito Administrativo da Escola Superior de Advocacia do Estado do Espírito Santo;

Sou professor de Direito Administrativo da Escola Superior do Ministério Público do Estado do Espírito Santo;

Sou professor de Direito Administrativo da Escola Superior da Magistratura do Espírito Santo,

Sou professor de Direito Administrativo de renomados cursos preparatórios nacionais para concursos de carreiras jurídicas;

Fui coordenador e palestrante do Congresso Brasileiro de Concurso Público, do Seminário Avançado de Processo Administrativo Disciplinar e ministro e já ministrei diversas palestras nos maiores congressos sobre gestão pública do País

E, o mais importante, advogo para mais de 2.000 (duas mil) pessoas que são clientes de todos os Estados da Federação e já ganhei muitas causas bem complexas relacionadas à minha área de atuação.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.